JS BRAGA CONTINUA AS SESSÕES DE FORMAÇÃO POLÍTICA, DESTA VEZ SUBORDINADA AO TEMA DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Dia 7 de Março é o dia de Luto contra a Violência Doméstica. Com o constante crescimento dos índices de Violência Doméstica em Portugal, desperta-se nos jovens uma preocupação crescente sobre este problema social, catalisado com mais de 50 pessoas detidas em Portugal por atos relacionados com a prática deste crime, este ano.

De 2004 a 2016 foram mais de 450 mulheres mortas em Portugal, sendo que nesse número 83% dos crimes "a relação entre a vítima e o homicida era uma relação de intimidade presente ou pretérita". Verificamos que se mantém a tendência de maior vitimização das mulheres às mãos daqueles com quem ainda mantinham uma relação, fosse ela de casamento, união de facto, namoro ou outro tipo relação de intimidade (277), seguido pelo grupo dos ex-maridos, ex companheiros e ex-namorados (101). Algo que se relaciona com 2018, onde tivemos 25 mulheres assassinadas por maridos, companheiros ou filhos.

O ano de 2019 ainda nem terminou e, no seu primeiro trimestre, já foram registadas quase metade das mortes por violência doméstica - nove - de todo o ano de 2017 ou 2016.

Há muitas respostas para encontrarmos, no meio das seguintes perguntas:
O que gera este problema? O que têm feito as entidades estaduais e governamentais para o resolver? O que necessitamos de fazer de novo?? O nosso sistema penal está apto para atuar nesta situação criminal? As nossas escolas estão a sensibilizar o desenvolvimento correto da personalidade dos nossos jovens? O crescente papel da mulher na sociedade vai conseguir minorar estas situações a partir da sua crescente auto-determinação e independência?

Venha discutir connosco dia 1 de Março às 21h30, na sede do Partido Socialista e ajudar a construir as soluções do amanhã.
Porque juntos #afirmamosfuturo !

 

IV ACADEMIA POLÍTICA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza cookies próprios e de terceiros. Se continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso.